segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Mais do mesmo



Estas eleições foram recheadinhas de surpresas. Como se já não bastasse o actual governo ganhar as eleições (povo com amnésia temporária dá nisso), o segundo partido da oposição ficar aquém das expectativas, o bloco de esquerda ter mais do dobro de deputados e superar os comunistas, pasmem-se: o partido pelos animais conseguiu eleger um deputado.
Com estes resultados ninguém ganhou e ninguém perdeu. O PSD pode gabar-se que ganhou as eleições e todos os outros perderam. Ah sim? Basta somar o numero de deputados da oposição e, como dizia o outro, é só fazer as contas! 

8 comentários:

  1. Mudam-se os tempos, mas não se mudam as vontades. Também padecemos desses males. Pelo menos que eu saiba não há lava-jato ou qualquer parecida do lado de lá. E do lado de cá as perspectivas são tão sombrias...
    Fica com os meus beijos, Ana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá José Carlos!
      A espécie politica é igual em todo o lado. Independentemente do país, os corruptos existem por todo o lado. A luta de interesses é sempre maior do que a vontade de ajudar o povo!
      Beijos

      Eliminar
  2. Como sempre ganhou a abstenção. Mais de 43% por cento alhearam-se do acto eleitoral.
    É sempre assim, na hora de votar ficam em casa, vão para a praia(quando o tempo deixa) vão ao futebol, ou onde lhes dá na gana. Passado um mês andam em manifestações contra o governo. O obscurantismo dos tempos salazaristas ainda está bem presente.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Elvira!
      A abstenção é sempre a grande vencedora. Desta vez a culpa não foi do sol, foi mesmo da chuva!
      Abraço e boa semana!

      Eliminar
  3. Ele há coisas! Após tanta luta, tanta reivindicação e manifestações na rua, cortes salariais, desemprego, emigração, gente coitadita a passar "fome", gente k teve de vender um dos dois carros, gente k deixou de poder tomar o 2º pequeno almoço e a 3ª ou 4ª bica do dia, deixou de comprar aquele smart phone (será k o tablet é mais avançado? Eu quero chocolate negro) aquele, sabes, topo de gama, k só lhe falta falar, mas apita, avisa e até tem lanterna e tudo, e agora vence, DE NOVO, a coligação k tanto, mas tanto, os tramou? Inexplicável ou então há gente a dizer aquilo que não faz, ou seja, arrotam mais do k comem, ou melhor, não comem.

    Há "pratos" ou outro tipo de coisas, que repetimos com tanto agrado! Não há, Ana? Pensa lá, só um bocadinho, se faz favor! Já encontraste? Afinal, foi e era fácil. Assim sendo, o título do teu texto tem todo o cabimento e atualidade.

    O que escreveste parece uma mensagem, uma opinião, uma reflexão, se quisermos ir mais "fundo", desapaixonada e meramente de constatação, mas não é.

    Qto às contas, às adições, tens toda e mais alguma razão, se existisse. A esquerda somada, unida, nem pensar, pke lhes falta inteligência e argúcia, que nestas coisas são atitudes, comportamentos tão necessários, pra quem vê as coisas por esse lado do prisma, portanto para os esquerdistas (eu k estou na face oposta do "prisma", vejo k essa seria a solução PERFEITA, IDEAL, mas eles não atingem, não chegam lá e guerreiam-se entre si. Bem, e quem ganha com esses desentendimentos, com essas guerras? Nós, a direita, indubitavelmente. Estou a lembrar-me de Paulo Portas e seus show off(s), mas como é o politico mais inteligente k temos, mais ou menos com jeito e mimos, a "coisa" chega a bom porto, aliás, chegou e agora, vai chegar e continuar.

    Pedro Passos Coelho é transmontano, e portanto mais desapegado e "mais vale quebrar que torcer", lema desta província, e ao contrário de Paulo Portas, k ontem ao saber k a coligação tinha vencido, ficou com os olhos lacrimosos, enquanto que o outro, P. Passos Coelho, não. Ficou feliz, mas meio torga (é uma planta rija e difícil de se vergar), por isso é k o escritor Miguel Torga escolheu este nome, melhor, este pseudónimo literário, pke tb era transmontano e tinha caráter rígido, assim dizem as biografias que tenho lido acerca dele.

    Isto é como um casal, com temperamentos diferentes, e por vezes, opostos, se querem continuar juntos, até pke precisam um do outro, um deles tem de ceder e cede sempre o mais inteligente e mais sensível. Teimosias e orgulhos não levam a lado nenhum, ou melhor, levam, conduzem à solidão e ao isolamento, mas "os cavalos também se abatem".

    Qto aos outros partidos: o PCP tem eleitorado fixo e fiel e mesmo sendo a 4ª força política, tem mais um deputado k o BE. Este é de marés, que não chegam a ser cheias, pke são dissidentes e descontentes do PS, portanto, vão oscilando, subindo, descendo, até se "finarem".
    O dos animais, conseguiram um deputado, em Lisboa. Pronto, "tá" feito! Parabéns! Os animais são nossos amigos. TENHO DITO!

    Boa semana!

    Beijos.

    PS: agradeço a tua visita e comentário no meu blogue. Acertaste na "mouche" ou tu não fosses mulher!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Céu!
      Concordo plenamente com o teu comentário. Mas será mesmo que há crise? Tirando as lojas que fecham por tudo quanto é sitio, há outras que continuam recheadinhas de clientes. Segundo dados recentes, a venda de automóveis até aumentou, bem como a de moradias.
      A esquerda não tem inteligência suficiente para unir-se e sei lá...governar? Será assim tão difícil? O PS achava que dava conta do recado sozinho e claro que enganou-se (muito haveria para dizer sobre o Costa mas é melhor não). O BE e o PCP achavam mesmo que iam ganhar? Parece-me que estão lá só pelo prazer de dizer mal porque se fossem chamados para governar, fugiam a toda a velocidade. Não entendo...
      Enquanto a esquerda não se une, a direita soma e segue.
      Não tenho a menor simpatia pelo Paulo Portas mas tenho de ser justa, ele é muito inteligente e é adora o que faz. É do tipo que consegue vender gelo a um esquimó ahahaha

      Boa semana!
      Beijos

      Eliminar
  4. Olá, Ana!

    Evidente que não há. O que houve foi toda um conjunto de ideias, que se encaixou na cabeça das pessoas, devido às medidas tomadas pelo atual governo, e exigidas pela Troika, mas quem pede emprestado, TEM E DEVE PAGAR, e todos nós, de uma maneira ou outra, o sentimos, mas nada do outro mundo. E quem chamou pra cá a Troika? O PS, nem mais, pke nunca soube governar esta casa, k é Portugal.
    E os Portugueses, em geral, deixam-se influenciar com imensa facilidade. E tu repara na blogosfera, onde os criadores de blogues e comentadores dizem: pois, isto está mto mal, este governo é um desgoverno, rebeubeu, pardais ao ninho, e todos dizem amém, mas a coligação ganhou. Que contradição! Que mentiroso é este povo!

    O Costa, o Dr. António Costa, oh, oh! tanto eu tinha pra dizer sobre este senhor. Conheço-o, de vista, deixa cá pôr os pontos nos "is" desde a minha adolescência, pke na minha rua, havia uma sede do PS e eu encontrava-o mtas vezes na rua, pke ele era todo "arruaceiro" e adorava comer num restaurante, mais tasca, chamada a Fonte dos Passarinhos, onde nunca entrei, portanto, eu conheço bem as arruadas deste senhor.
    Buçal e vulgar, todos dias.

    Não, o PC é um partido antigo e k mantém sempre uma nuvem à volta dele, portanto são sempre os mesmos e com as mesmas ideias. Gosto mto de Jerónimo de Sousa, como pessoa, mas ele sabe k se um dia fosse governo, cortaria a direito, e então é k a emigração triplicaria, a menos k eles não o permitissem.
    Historicamente, sempre assim foi, a direita, soma e segue à custa dos desentendimentos da esquerda, k está, sempre esteve toda esfrangalhada.

    Exatamente. Paulo Portas é mesmo assim como dizes.

    Ainda a propósito da inventada crise. Se procurares as lojas mais caras, como Louis Vuitton, p exemplo, vês k vendem às carradas.
    Comprei, melhor, paguei, há dias um exaustor TEKA, mas como é o mais caro do mercado, segundo julgo, disseram-me k não tinham, de momento nenhum, pke têm vendido tanto, k vou ter de esperar no mínimo, no mínimo, leste bem, um mês e comprei na loja principal da marca. Então, cadé a crise?

    Um dia feliz.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Retificano: 1ª linha - todo.

    Beijos.

    ResponderEliminar