terça-feira, 17 de março de 2015

Quem me dera


Quem me dera poder abrir o livro
Mudar a historia, seguir outro rumo
Por apenas um dia partir sem destino
Aportar onde me aprouvesse sem hora de voltar
Ai este desatino, esta vontade de ir
Quando as raízes teimam em me prender
Quero apanhar a vida que se me escapa
Prendê-la entre os dedos sem hesitar
Transformar os sonhos em realidade
Porque amanhã é muito longe
E o agora é sempre tarde demais.