segunda-feira, 4 de abril de 2016

Vê-se caras...



Os ricos e famosos são alvo de piadas o tempo todo. Aliás, os não-ricos e não-famosos também. Criticar faz parte do ser humano. Criticamos o que não achamos correto, o que não está de acordo com a nossa forma de ser ou aquilo que achamos extravagante. Este hábito, aparentemente inofensivo (ou não), pode por vezes provocar um mal completamente desnecessário. É que quem vê caras, não vê corações. Não sabemos o que vai na alma de cada pessoa, logo, não sabemos porque cometeu determinado acto. 

Wentworth Miller foi a estrela da série Prision Break (que eu por acaso nunca vi). É um rapaz alto, jeitoso e fazia milhões de fãs suspirar. Tinha tudo para ser o homem de sonho de qualquer mulher mas escondia um segredo (ou dois): era homossexual e sofria de depressão desde criança. 

Entre 2005 e 2009 a série fez o maior sucesso e era falada por todo o lado. Wentworth passou a sofrer de assedio constante e a pressão para ser o melhor era cada vez mais sufocante. Podia ter enveredado pelo mundo das drogas ou álcool como tantos fazem, mas preferiu viciar-se no que estava mais à mão: a comida. E assim, o rapaz grandalhão e musculoso engordou como qualquer mortal. Ai que pecado enorme! Que desperdício! As criticas não tardaram e frases como a que está na legenda da foto (quando escapas da prisão e descobres o monopólio da mcdonald), eram uma constante. Ninguém se preocupou em perguntar porque o rapaz tinha mudado tanto. Ninguém quis saber se ele estava com algum problema. Tinha engordado porque era um preguiçoso e desleixado e ponto. Só agora, anos depois e com a personalidade mais forte,  ele veio dizer que enquanto era gozado, sofria de depressão e as coisas que liam sobre ele não eram propriamente um incentivo à sua recuperação. 

Por isso não se deve julgar as pessoas pela aparência, até porque cada ser humano é muito mais que um corpo! 

6 comentários:

  1. Sem dúvida alguma.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde,"nem tudo que parece o é" existe a tendência para criticar sem conhecimento de causa, como se fossemos um exemplo para a sociedade, critica-se através de alguém que escreve negativamente sobre o A ou B sem conhecer a pessoa, com o objectivo de vender e influenciar, é muito fácil condenar publicamente, difícil é, pensar pela própria cabeça.
    AG

    ResponderEliminar
  3. olá, Ana...

    agradeço a tua amizade, palavras e votos.

    beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Estive por aqui.
    E, desejo felicidades.

    MANUEL

    ResponderEliminar
  5. Vim para aproveitar um vento que está avivando a labareda da nossa amizade e aproveito para deixar-lhe mais um beijo,

    ResponderEliminar
  6. Bem dito!
    Somos muito cruéis. E a indústria da «fama» e das revistas cor-de-rosa é que alimentam isso. Não é tanto as pessoas. Essas "comem" o que lhes é servido. Se as revistas não fizessem matérias inteiras sobre quem tem o melhor cabelo, o melhor peito, o melhor bum-bum, quem é feio porque tem celulite, barriga, etc, estas «merdas» não andavam como andam...

    ResponderEliminar