segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Nada como cortar o mal pela raiz

Nos Estados Unidos, um homem decidiu ser castrado quimicamente (pois claro) já que não aguentava mais trair a mulher. Diz ele que já teve encontros com mais de 50 prostitutas e até é cliente habitual de algumas mas estava cansado de tanta traição. É que o vicio em sexo é tão prejudicial como o das drogas ou o álcool e quando este toma conta de vida do viciado, tudo pode acabar mal.
Dito e feito! O homem foi ao medico, tomou o medicamento e agora é mais feliz do que nunca. A mulher já não corre com o rolo da massa atrás dele quando chega a casa e ele poupou uns trocos (já para não falar na saúde que vai melhorar a olhos vistos).

Eu acho de louvar a atitude deste senhor! Viu que o vicio era mais forte do que ele e tratou de cortar o mal pela raiz. Felizmente os métodos usados hoje em dia já não são os de antigamente e ele pode preservar tudo o que tinha como quando nasceu.

Como a minha curiosidade é forte, decidi saber mais sobre o assunto e retirei isto da wikipedia:
A castração química é uma forma temporária de castração, ocasionada por medicamentos hormonais para reduzir a libido. Diferente da castração cirúrgica, quando os testículos e ovários são removidos através de incisão no corpo, castração química não castra a pessoa praticamente, e também não é uma forma de esterilização.

Noticia aqui.