segunda-feira, 4 de abril de 2016

Vê-se caras...



Os ricos e famosos são alvo de piadas o tempo todo. Aliás, os não-ricos e não-famosos também. Criticar faz parte do ser humano. Criticamos o que não achamos correto, o que não está de acordo com a nossa forma de ser ou aquilo que achamos extravagante. Este hábito, aparentemente inofensivo (ou não), pode por vezes provocar um mal completamente desnecessário. É que quem vê caras, não vê corações. Não sabemos o que vai na alma de cada pessoa, logo, não sabemos porque cometeu determinado acto. 

Wentworth Miller foi a estrela da série Prision Break (que eu por acaso nunca vi). É um rapaz alto, jeitoso e fazia milhões de fãs suspirar. Tinha tudo para ser o homem de sonho de qualquer mulher mas escondia um segredo (ou dois): era homossexual e sofria de depressão desde criança. 

Entre 2005 e 2009 a série fez o maior sucesso e era falada por todo o lado. Wentworth passou a sofrer de assedio constante e a pressão para ser o melhor era cada vez mais sufocante. Podia ter enveredado pelo mundo das drogas ou álcool como tantos fazem, mas preferiu viciar-se no que estava mais à mão: a comida. E assim, o rapaz grandalhão e musculoso engordou como qualquer mortal. Ai que pecado enorme! Que desperdício! As criticas não tardaram e frases como a que está na legenda da foto (quando escapas da prisão e descobres o monopólio da mcdonald), eram uma constante. Ninguém se preocupou em perguntar porque o rapaz tinha mudado tanto. Ninguém quis saber se ele estava com algum problema. Tinha engordado porque era um preguiçoso e desleixado e ponto. Só agora, anos depois e com a personalidade mais forte,  ele veio dizer que enquanto era gozado, sofria de depressão e as coisas que liam sobre ele não eram propriamente um incentivo à sua recuperação. 

Por isso não se deve julgar as pessoas pela aparência, até porque cada ser humano é muito mais que um corpo!