quarta-feira, 5 de abril de 2017

Quando o silêncio é a única resposta

Recentemente vi o novo filme do Scorcese: Silêncio. O filme fala sobre um padre jesuíta que é enviado para o Japão, com o objetivo de espalhar a palavra de Deus por aqueles lados. A missão não corre bem e cá em Portugal (sim, o filme é baseado numa história de padres portugueses), surge a noticia de que o padre Ferreira renunciou à fé e agora vive no "bem bom" com mulher e filhos. Os seus alunos não acreditam nisso e dois oferecem-se para ir ver o que aconteceu. Mas não é do filme que eu quero falar. 
Se no filme vemos de forma dura como a fé, tantas vezes intermitente é posta à prova, na vida real as coisas não são diferentes. Quantas vezes pedimos por um sinal, uma resposta ou uma "amostra grátis" que nos indique o caminho certo a seguir mas nada acontece? Quantas vezes pedimos pela cura de quem amamos mas a doença só piora? Quantas vezes pedimos pelo prolongamento da vida de quem amamos (porque é cedo demais para partir) mas a única resposta é o silencio?
Se fizermos estas perguntas a alguém, a resposta será: "mas Deus não é o nosso criado para fazer o que pedimos". Certo. 
Vamos então imaginar este cenário:
Uma criança doente, cheia de febre, acorda a meio da noite e pede agua ao pai. Chama uma vez, duas, três e nada. O que fazer? Fica com sede ou levanta-se e vai buscar o copo com água mesmo sem poder? 
Claro que muitas pessoas pedem coisas desnecessárias como uma casa com piscina, um carro bom ou uma boa conta bancária mas aqui, enquanto vivemos, o mais importante é a saúde. Porque se tivermos saúde, podemos trabalhar, logo ganhamos dinheiro e compramos um carro e uma casa. 
Quando a única resposta que temos não é "sim" nem "não" e muito menos um "talvez", é um nada ensurdecedor, a fé se desvanece até deixar de existir. 

  

21 comentários:

  1. Gostei muito de ler este post,fiquei a refletir nos meus próprios silêncios...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana!
      A vida é repleta de silêncios. Alguns nossos, outros de quem adoraríamos ter uma resposta.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Eu e os meus silêncios! E sabe-me bem.
    Fé só quem a tem é que a sente
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Silêncio é bom e faz bem mas naquela altura em que tudo o que precisávamos é de uma resposta, é um tormento.
      Kiss.

      Eliminar
  3. vi o filme
    até fiquei espantada com o facto de ser acerca de padres portugueses, mal soube que era do martin secorcese vi logo, adorei as interpretações, nem sabia quem era o actor novo e no mesmo dia vi o outro do soldado e fiquei a achar que vai ser a nova estrela de hollywod,...
    Mas não vi aquilo com muita empatia pela igreja, aliás desde que estudei religiões tenho um certo nojo a todas, Deus é amor ponto.
    mas do que falas entendo, mesmo para quem não tem muita fé farta tanto as rasteiras da vida, mas levamos todos com elas não há nada que as evite, nem boas acções nem actos heróicos, nem sacrifícios, acreditar é mais um aconchego e nunca uma salvação...
    mas não há nenhum cliché que vá ajudar cada vez mais vejo isso, quando era nova acreditava que todo o bem que a gente faz cedo ou tarde vem, e agora já tenho medo de o fazer, que só me acontece desgraça depois de cada boa acção, os maus andam felizes e contentes com vidas curtidas e os bons definham em dores e sofimento, karma é coisa que não existe...
    como vês o que sentes em relação à religião eu sinto em relação à vida...
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é o problema. A uns parece que acontece tudo e mais alguma coisa e a outros que fazem mal a torto e a direito, nada.
      O filme é uma metáfora para o que acontece nas nossas vidas. Há uma altura no filme em que esperávamos por aquele grande momento, cheio de efeitos especiais e nada. Na vida também é assim. Enfim, temos de lidar com a realidade nua e crua sem efeitos especiais.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Fiquei curiosa em relação ao filme, parece que a mensagem é muito boa!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um filme longo com mais de 2 horas mas não se torna cansativo porque apesar do desenrolar da história ser lento, consegue nos prender ao ecrã.
      Beijos

      Eliminar
  5. Oi, Moça,
    Ainda não vi o filme, mas sabendo que traz a direção de Scorsese, já nos mobilizamos para agendá-lo. E não perdi a oportunidade de deixar o registro das minhas pegadas pela tua casa e dizer que suas indagações que nos fazem pensar.
    Conversamos menos, mas admiração que tenho por você permanece inalterada.
    Beijos,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá José Carlos!
      Visitei o seu blog mas não comentei por falta de tempo porque a sua escrita tem de ser apreciada sem pressa. Voltarei com calma para saborear cada palavrinha, ok?

      Scorcese é nosso colega de signo então... as duvidas dele são também as nossas ahahah.
      Beijos

      Eliminar
  6. Olá, Aninhas!

    Estás bem? E a tua mãe? Aqui, cansaço e sol. EXCELENTE, o sol!
    Já tinha passado por cá e lido o texto, mas era já tão tarde, que preferi deixar pra outro dia o comentário.

    Pois é, não sei quem é Scorcese, e agora não tenho mto tempo para ir consultar a Wikipédia, mas suponho ser um realizador de cinema e tal como nunca ouvi falr dele, tb, nunca ouvi falar do filme, portanto, não posso opinar, mas baseando-me no teu resumo e até nas perguntas k colocas aos outros e a ti mesma, e sendo nós ambas católicas, não sei k te diga.

    Pondo tudo em causa: Deus existe? Se existe, porquê tanto mal, tanto, infortúnio? É Satanás k governa isto tudo? A Humanidade está sofrendo, pke Adão, atendendo a Eva, foi expulso do paraíso? Se eles tiveram dois filhos, Abel e Caim, um matou o outro (a "coisa" começou mto bem...) e depois como se fez a continuação da espécie?

    Se Deus é amor, por que anda o mundo todo assim, às avessas, nações contra nações, alterações climáticas esquisitas, atentados, cada vez mais refinados, etc.?

    Penso que compreendi mto bem a tua metáfora, e tal como tu, por vezes, tb, tenho mtas dúvidas.

    Beijinhos e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Ceuzinha!

      Bem, bem... não estou mas vai passar. Estou naqueles dias em que odeio com todas as minhas forças ser mulher porque parece que fui atropelada por um camião. Não que alguma vez tenha sido mas imagino que a sensação não estará muito longe disso ahahahah

      A minha mãe hoje sente-se melhor, obrigada :)

      Sim, o Scorcese é um dos grandes realizadores de Hollywood com muitos sucessos na carreira e soma e segue nos tops das bilheteiras.

      Ai não me digas que não tens resposta às minhas perguntas?! Estava a contar contigo para ter algum momento de inspiração.
      Essas perguntas são também as minhas e cheguei à conclusão que todas as nossas dúvidas só serão respondidas quando morrermos. Porque o mundo divide-se em três tipos de pessoas: os crentes, os não crentes e os que andam "mais perdidos do que um cego num tiroteio" (ouvi esta frase num filme e adotei ahahaha).

      Ouvi um padre dizer que é bom termos dúvidas. Não concordei. Bom mesmo é ter certezas porque aqueles que tudo sabem, vivem em paz.
      Quando vemos na tv tanta desgraça, claro que a fé é posta em causa. Porquê tanto sofrimento? Porque é que não acontece como nos filmes e o herói da história é salvo no ultimo segundo?
      Uns dizem que é o "livre-arbítrio" e Deus não interfere com as nossas ações porque cada um é responsável pelo que faz mas e os que sofrem pelo mal causado por outros? E quando pedimos um milagre e nada acontece?
      O filme mostra isso. O padre pede por um sinal e nada. Então ele desespera, sofre horrores e chega a perder a fé mas depois com um gesto, um sinal por menor que seja, é suficiente para reacender a chama da fé.

      Como dizia o filosofo: só sei que nada sei. E eu acrescento: mas um dia vou descobrir.

      Bom fim de semana.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Fiquei preocupada e de "pulga na orelha" com o facto de, hoje, vamos pensar k é só hoje, odiares ser mulher, pke algo ou alguém te atropelou, brutalmente.

      Tu e eu somos antissociais, temos os nossos mundos bem "guardados", mas por vezes, temos de, não direi "explodir", mas respirar mais profundamente, nem k seja com um ai prolongado ou um berro, k só nós ouvimos.

      Se quiseres falar, já sabes onde o poderás fazer. Acredita que ouvirei, apenas, e o mais k te poderei dizer, se for esse o caso: já senti o mesmo k tu.

      Beijinhos e depois respondo à tua resposta/conversa, na totalidade.

      Eliminar
    3. ahahahah o drama, o horror, a tragédia!

      Não fui atropelada metaforicamente falando ou não, por alguém. O que acontece comigo, também calha a todas as mulheres em período fértil. Era bom se só durasse um dia!
      Sabes em que naqueles dias do mês onde só vemos vermelho por todo o lado, uma pessoa sente-se mal como se tivesse sido atropelada. Pelo menos é do que se queixam muitas mulheres então, parto do principio que não é só comigo. Aqueles anúncios de pensos higiénicos onde as mulheres pulam, cantam e dançam quando estão com o período, é a coisa mais parva que pode haver.
      Felizmente a coisa já está quase no fim e para o mês que vem há mais.

      Tirando estes dias, gosto muito de ser mulher!

      Kiss Kiss

      Eliminar
    4. Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh! Já "não" gosto de ti, pronto. "Quê dezer", fica uma pessoa, uma amiga, toda preocupada e afinal é de coisas, naturalíssimas, que te queixas. Tu és normal, rapariga. Deixa lá, k lá prós 50/50 e tal já não há rouges.

      Tão "parvalhona"!

      Um baiser, apesar das tuas "tolices"!

      Eliminar
    5. ahahaha coisas naturais são... mas chateiammmmm. Se eu chegar aos 50 (nunca se sabe), livro-me de uma desgraça mas aparecem tantas outras como os calores e as securas e... tanta coisa. É melhor nem pensar nisso porque ainda me faltam 15 anos. Ai vidaaaaa!
      Bisous

      Eliminar
    6. Também qdo temos febre, dor de cabeça, etc. chateia e por vezes acontece mais k uma vez por mês.

      Pois, depois vais ver e estou a lembrar-me da minha mãe e tias, que passavam a vida a refrescar-se, pke era fogo que ardia e se via. Mas, olha, que o pior da menopausa são as hemorragias, levando mtas mulheres a fazerem histerectomias, pke não há outra solução. E depois, pra compensarem a parte hormonal, disse-me a Ginecologista têm de tomar pra sempre hormonas, isto tem um nome específico, mas não lembro agora.

      Beijinhos e desejo-vos uma Santa Páscoa!

      Eliminar
    7. Ai ser mulher tem destas coisas... antes da menopausa é uma desgraça, depois é outra desgraça. Mulher sofreeee!
      Já ouvi uma mulher dizer que estava no inferno por causa dos calores da menopausa. ahahah

      Santa Páscoa para ti também.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Boa tarde, talvez por nunca ter sido praticante religioso, nunca usei a palavra fé, o que sinto e faço questão de sentir é motivação, com toda a certeza que a motivação, ajuda-me a ultrapassar e a solucionar o que me incomoda, assim, como , conseguir o que pretendo, o Padre Ferreira, rumou ao caminho certo, foi inteligente.
    Votos de Páscoa repleta de alegria! Feliz Páscoa!
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá AG.
      Fé, motivação ou seja lá que nome queiramos dar, o que importa é a intenção e se nos faz atingir o objetivo proposto, está tudo certo.

      Feliz Páscoa!

      Eliminar